PLURAL - EXPOSIÇÃO COLETIVA

16.12.15 a 06.02.16 - Exposição Coletiva - PLURAL

PURAL

Exposição de edições de obras dos seguintes artistas:

- Ana Amélia Genioli
- Daisy Xaveir
- Rogério Medeiros
- Silvia Mecozzi, e
- Vicente de Mello

A exposição PLURAL foi elaborada e organizada pelo galerista Eduardo Fernandes em conversas com os artistas nominados acima com a proposta de estabelecer novas direções aos trabalhos destes artistas e chegar a novas obras que dialoguem com o universo de cada um, tratando da ideia da pluralidade no uso e no desenvolvimento seriado em novos meios. Os cinco artistas trabalharão em cinco diferentes obras em diferentes suportes. 
As obras criadas para essa exposição, tem como característica de ampliar horizontes de algumas séries produzidas anteriormente: 

Ana Amélia Genioli, que defendeu recentemente uma tese sobre artes visuais no doutorado de Comunicação e Semiótica da PUC, SP, apresentará uma série poética por meio de bordados. Atravessando o tecido, as linhas dos trabalhos desenham e escrevem palavras num continuum. Os trabalhos são como objetos escultóricos tanto no plano bidimensional quanto no tridimensional. 

Daisy Xavier, apresentou em 2011 no MAM, Rio de Janeiro, sua exposição individual o Último Azul, quando foi feita a publicação do livro com o mesmo titulo. Recorrendo a esse período, a artista elegeu a obra Movimentos de 2005, um desenho em nanquim sobre papel vegetal, para definir novas diretrizes para essa obra. Que será apresentada na Galeria Eduardo Fernandes em um grande painel. 

Rogério Medeiros, apresentou no Salão Luiz Sacilotto em 2015, o seu novo trabalho, a partir de fotografias ampliadas, recortadas e coladas. O resultado são fotografias que nos remetem diretamente a pintura, inclusive por serem peças únicas. Na galeria, Medeiros desenvolveu uma série de edições, a partir dessa nova serie de “pinturas”. Voltando a multiplicidade do suporte fotográfico. 

Silvia Mecozzi, apresentou uma série de trabalhos em sua exposição individual na Pinacoteca de São Paulo em 2005. Na exposição coletiva PLURAL, a artista apresentará edições em papel, a partir da série Agressão e Delicadeza. Nos remetendo ao lúdico do um universo onírico. 

Vicente de Mello apresentou em 2010 no Projeto Parede do MAM-São Paulo, a instalação PLI SELON PLI, lambe lambe (silk) de imagens de postes de luz que remetiam, em sua montagem, a notas musicais sobre pentagramas, uma clara homenagem a composição de mesmo nome (que se traduz como dobra sobre dobra), do compositor francês Pierre Boulez. Na Exposição PLURAL, a série PLI SELON PLI se desdobra em um novo suporte, o azulejo, sem perder a idéia original da reverberação da imagem em composições aleatórias e múltiplas, em uma parede que remete claramente aos azulejos de Athos Bulcão dos anos de 1960.