HUMANOS DIREITOS - FERNANDO ARIAS


Humanos Direitos | Fernando Arias

Curadoria de Gabriela Salgado da Tate Modern

O marchand Eduardo Fernandes convidou a Curadora de Programas Públicos para a América Latina da Tate Modern, de  Londres, para realizar a curadoria da próxima exposição de sua Galeria. Gabriela Salgado selecionou o colombiano que vive e trabalha  em Bogotá e  a Inglaterra,  Fernando Arias, que apresenta fotos, vídeos e  objetos na exposição Humanos Direitos,  de 14 de agosto a 15 de setembro.

A obra de Fernando Arias  utiliza diversos suportes em sua arte: escultura, fotografia, instalação e vídeo. Discute temas contemporâneos e nesta exposição na Galeria Eduardo H Fernandes, provoca uma séria reflexão sobre a tragédia que afeta seu país, imerso em uma guerra de várias décadas. Apresenta pela primeira vez um vídeo instalação onde três membros de facções  do conflito armado da Colômbia se desnudam frente à câmera, despojando-se de seus signos de identidade próprios de cada bando, para permanecer desnudos, iguais em sua condição humana.

Fernando Arias denuncia,  a violação dos direitos humanos em situações de guerra, ao expor pessoas envolvidas nesta luta e evocar seus direitos no título do trabalho.  Apresenta, por exemplo, em Paz Aporte/A contribution to Peace, um passaporte colombiano falso e impresso em branco com o emblema pátrio alterado e produzido por Daros Latinamerica em edição limitada. Com esta intervenção, ele comenta amargamente sobre o prejuízo que acompanha os colombianos ao atravessar as fronteiras com um passaporte que evoca violência, drogas e ilegalidade.

As obras mais recentes em vídeo de Fernando Arias, são fruto de uma prolongada estadia no litoral de Choco, na costa do Pacífico colombiano. A seleção apresentada nesta exposição na Galeria Eduardo Fernandes, Humanos Direitos, Violin, Pais de Machos e Enjoy Your Meal, reflete uma calamidade visual surpreendente e ao mesmo tempo delicadamente intimista, a resistência de um povo prejudicada pela precariedade e o desprezo forçoso e o racismo.

Seu trabalho está faz parte de coleções importantes museus e coleções particulares.