SERGIO LUCENA

1963. João Pessoa, Paraíba, Brasil

A luminosidade das suas pinturas abstratas em grande formato resultam de uma técnica complexa e particular, onde a superposição de camadas de tinta revelam, na superfície da tela, a luz imanente da cor pelo acúmulo de pigmentos. A paisagem é seu tema de interesse, nela se fundem estados instrospectivos e transcendentais que sugerem contemplação.

Participou ao longo de sua extensa carreira de exposições nas seguintes instituições: Pinacoteca (SP), Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP) em São Paulo, Museu Nacional da República em Brasília, Centro Cultural dos Correios (em Brasília, Rio de Janeiro e Salvador), MuBE-Museu Brasileiro da Escultura em São Paulo e no Centro Cultural São Francisco e Núcleo de Arte Contemporânea, ambos em João Pessoa. A Galeria Eduardo Fernandes em 2017 realiza a exposição individual Sergio Lucena Silente. 

Além das distinções que conquista nos principais salões de arte do país, foi agraciado em 2012 com o Prêmio Mário Pedrosa, na categoria Artista Contemporâneo em 2011, oferecido pela Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA).

Participou de workshops, intercâmbios e residências artísticas na Dinamarca, na Alemanhã (Berlim) e nos Estados Unidos (Washington). O catálogo raisonnécom suas obras foi publicado em 1999, e o livro Projeto Deuses, com a série de pinturas de mesmo nome, foi lançado em 2007.

Sergio Lucena estudou desenho e pintura durante 4 anos com o celebrado artista paraibano Flávio Tavares,  antes de ingressar na Universidade Federal da Paraíba, nos cursos de Física e Psicologia. No entanto, sua formação artística se desenvolve como autodidata. Morou no Mato Grosso (Chapada dos Guimarães), em Berlim durante os anos 1990, e, a partir de 2003, se estabelece definitivamente em São Paulo.

 

Currículo      

 

EXPOSIÇÕES

 
Eduardo Fernandes