VICENTE DE MELLO

 

Publicitário de formação especializou-se em História da Arte e Arquitetura no Brasil, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC/RJ. Estagiou no Instituto Nacional de Fotografia (INFoto- FUNARTE) e trabalhou no Departamento de Fotografia do Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro – MAM/RJ, no final dos anos 80. De 1991 a 1998, foi o fotógrafo responsável pelo setor de documentação fotográfica do acervo e das exposições do MAM/RJ – Coleção Gilberto Chateaubriand. Fotografa arte para museus, artistas e editoras há vinte anos, e tem sua pesquisa fotográfica apresentada desde 1990, com a criação de séries como Primeiras Fotos(1990- 1993), Topografia Imaginária (1994-1997), Moiré (1995), Noite Americana (1998), Bestiário (1997), Vermelhos Telúricos (2001) apresentada pela primeira vez no CCBB- RJ, Galáctica (2006) e as recentes Herbaria (2007), Slide Trip (2009), Cinema Atmosférico (2009) e Quantas ASAS têm um Pixel? (2008) sua primeira experiência com fotografia digital.

Participa de várias mostras coletivas como em 1997 da VI Bienal de La Habana (El individuo y su memoria), Cuba em 1997; da mostra Brasil 2000, um oceano inteiro para nadar, Culturgest, Lisboa, Portugal; Em 2001 da mostra O Fio da Trama/ The thread unraveled: Contemporary Brazilian Art, no El Museo del Barrio, New York, USA e em 2002 no Museo de Arte Latinoamericano de Buenos Aires/ Fundação Constantini (MALBA), Buenos Aires, Argentina, da mostra El Hilo de la Trama: Arte Brasileira Contemporânea, em 2004 da Artefoto no CCBB - Rio de Janeiro e em Brasília, da Trajetória da luz na Arte Brasileira, Itáu Cultural em São Paulo, de curadoria de Paulo Herkenhoff, em 2001, em 2004 Natureza-Morta, Still Life, Galeria de Arte da FIESP, São Paulo / MAC - Niterói, curadoria Katia Canton, em 2006/2007.

Das suas exposições individuais, entre outras, destacam-se Vermelhos Telúricos no CCBB – Rio de Janeiro em 2001, em 2006/2007 moiré.galáctica.bestiário / Vicente de Mello – Photographies 1995 - 2007 curada por Jean-Luc Monterroso e Alberto Saraiva, na Maison Européenne de la Photographie em Paris, França, no Oi Futuro, Rio de Janeiro e na Pinacoteca de São Paulo, em 2010 apresenta PLi selon Pli no MAM - SP e Orquestra de trombones no MAC - Niterói.

Em 2007, foi ganhador do Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) de melhor exposição de fotografia do ano em São Paulo, na Pinacoteca do Estado com a mostra Moiré.Galáctica.Bestiário. Em 2006 publicou um livro sobre seu trabalho, Áspera Imagem, editado pela Aeroplano. Em 2010 publicou Maria, livro com ensaio fotográfico sobre a obra da escultora Maria Martins, editado pela Cosac Naify.

Expôs e pertence aos acervos das seguintes instituições: Pinacoteca do Estado de São Paulo; Coleção Gilberto Chateaubriand/MAM-Rio de Janeiro; Museu de Arte de São Paulo - Coleção Pirelli; Maison Européenne de la Photographie, Paris; Fondation Cartier pour l´art contemporain, Paris; Museu de Arte Moderna Aluísio Magalhães, Recife; Museu de Arte Moderna de Brasília; Museu de Arte Moderna de Rio de Janeiro; Museu de Arte Moderna de São Paulo e Coleção Joaquim Paiva, Rio de Janeiro.

 

Currículo       Textos de Críticos

 
 

EXPOSIÇÕES

Eduardo Fernandes